domingo, 15 de novembro de 2015

Findam-se as aulas no GEPINHA...



Quando comecei a lecionar sempre tive o sonho de dar aulas na escola do meu bairro, mais conhecida por aqui como "Gepinha", pois ali fiz o antigo Colegial e tenho tantas boas lembranças.
Então, em agosto participei de uma atribuição de aulas de Português e finalmente o sonho tornou-se realidade.
Foram três meses, aproximadamente, muito agradáveis com duas turmas do Ensino Médio que me permitiram viver inúmeras experiências.
Posso dizer com clareza, que lá lecionei para o famoso 1º C, o qual me deu muito trabalho. Tivemos aulas complicadas no 3º Bimestre devido aos grupos de alunos que sentavam-se fora dos lugares (mapa da sala) e tinham o costume de ficar em grupos com conversas paralelas e altas. Bolinhas de papel voavam para todos os lados e como era difícil explicar qualquer coisa. Foram alguns sermões e momentos de puro estresse. Juro que pensei em desistir, mas a gente para e respira. Pensa que não são todos e não podemos generalizar. Abandonar a sala inteira por causa de alguns alunos. Conversei com a Coordenação e alguns professores que me auxiliaram, pois estou na caminhada do aprendizado e tenho tanto a melhorar ainda. Ouvi tudo com atenção e coloquei os bons conselhos em prática. Assim, no 4º Bimestre, a situação melhorou e as aulas fluíram melhor.
Quanto ao 2º A, que maravilha! A melhor sala em que já lecionei com seu grupo de alunos falantes, mas a maioria madura e atenta aos conteúdos e explicações. Via "olhos" me olhando e "ouvidos" me ouvindo com atenção. Como é bom saber que podemos ensinar e colaborar com o crescimento de alguém. Falamos de literatura e compartilhamos ideias diversas.
Fiz o uso da Sala de Vídeo da escola e as aulas foram diferenciadas, fora da rotina da sala de aula, o que eu considero extremamente essencial para a juventude dos dias atuais.
Eles não gostam de copiar conteúdos da lousa e necessitam de outras motivações para participarem melhor. Alguns tem muito para oferecer.
Enfim, na sexta-feira passada o último dia chegou porque a professora efetiva retornará amanhã.

Como é difícil a despedida. Eu não me contive e lágrimas encheram os meus olhos. Espero ter ensinado um pouco do que sei e ser lembrada com carinho. Desculpa pelas broncas e puxões de orelhas necessários. Agradeço pelos presentes. Dentro do meu coração levarei um pouquinho de cada um e assim é a vida de uma professora que AMA O QUE FAZ!

Obrigada Senhor por mais um sonho realizado!
Obrigada à escola e todos que lá, me acolheram bem!
Espero findando esse testemunho, um dia retornar e que assim seja.

Prof. Daniela Menegassi

sábado, 14 de novembro de 2015

SUGESTÃO DE FILMES - TEMA: EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL

- A cor púrpura (Dirigido por Steven Spielberg, 1995)
- Terra Vermelha (Dirigido por Marco Bechis, 2008)
- A encruzilhada (Dirigido por Walter Hill, 1986)
- Atlântico negro - Na rota dos orixás (Dirigido por Renato Barbieri, 1998)
- Cruz e Souza – poeta dos desterro (Dirigido por Sílvio Back, 1998)
- Em defesa da honra (Dirigido por Bill Duke, 2005)
- Faça a coisa certa (Dirigido por Spike Lee, 2002)
- Feiticeiros da palavra (Dirigido por Eduardo Coutinho, 2001)
- Fugindo do inferno Homens de Honra (Dirigido por John Sturges, 2007)
- Hotel Ruanda (Dirigido por Terry George, 2006)
- Kiriku e a feiticeira (Dirigido por Michael N’Dour, 1998)
- Mississipi em chamas (Dirigido por Alan Parker), 1988)
- O povo brasileiro (Dirigido por Isa Ferraz, 1995)
 - O que é Movimento Negro? (Documentário, 1998)
 - O rap do pequeno príncipe contra as almas sebosas (Dirigido por Paulo Caldas e Marcelo Luna, 2000)
- Uma onda no ar (Dirigido por Helvécio Ratton, 2002)

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 3 – EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL E A ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO


SUGESTÃO DE SITES - TEMA: EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL

- Revista Afro-Ásia: http://www.afroasia.ufba.br/
- História e Cultura Africana e Afro-brasileira na Educação Infantil: http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002270/227009POR.pdf
- Síntese da coleção História Geral da África 
- Revista África e Africanidades: http://www.africaeafricanidades.com.br/
- O índio na fotografia brasileira: http://povosindigenas.com/
- Povos indígenas em São Paulo: http://www.cpisp.org.br/indios/
- Museu Afro Brasil: http://www.museuafrobrasil.org.br
- Educação e Relações Raciais: http://www.acaoeducativa.org.br/relacoesraciais
- Biblioteca da Presidência da República: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/pagina-inicial-3

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 3 – EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL E A ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO

SITE - IGUALDADE RACIAL PARA ATIVIDADES EM SALA

Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 3 – EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL E A ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO

VÍDEOS DA COLEÇÃO - HERÓIS DO MUNDO

Compartilho com vocês, caros professores, alguns vídeos muito bons dessa coleção que vão auxiliá-los em aulas de diversas disciplinas.

Acesse o link:

Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial: 

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 3 – EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL E A ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO

VÍDEOS PARA FALAR SOBRE O TEMA: RACISMO

Assista aos vídeos que retratam a vida de dois heróis brasileiros:

CAROLINA MARIA DE JESUS

ZUMBI DOS PALMARES

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 3 – EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL E A ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO

VÍDEO - MUSEU AFRO BRASIL - ÁFRICA

MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO


FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 3 – EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL E A ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO

VÍDEO SOBRE CAPOEIRA - ATIVIDADE ENSINO MÉDIO


EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 3 – EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL E A ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO

SUGESTÕES DE FILMES E CONTEÚDOS NA INTERNET - TEMAS: PREVENÇÃO, SEXUALIDADE, BULLYING E AIDS

PREVENÇÃO E SEXUALIDADE

- Comédia:

BILLY ELLIOT 
Direção: Stephen Daldry

DESENROLA 
Direção: Rosane Svartman

CONFISSÕES DE ADOLESCENTE 
Direção: Daniel Filho

- Animação:
MINHA VIDA DE JOÃO 
“Série Trabalhando com Homens Jovens”

ERA UMA VEZ OUTRA MARIA 
Parceria da ECOS – Comunicação em Sexualidade, Instituto Promundo, Instituto PAPAI, Salud Gênero, World Education.

- Drama:
EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO 
Direção: Daniel Ribeiro

CAZUZA – O TEMPO NÃO PARA 
Direção: Sandra Werneck e Walter Carvalho.

FILADELFIA 
Direção: Jonathan Demme

- Documentário:
VAMOS TODOS DANÇAR 
Direção: Marilyn Agrelo

MENINAS 
Direção: Sandra Werneck

- Ficção:
ANTES QUE SEJA TARDE 
Direção: André Queiroz

CONTEÚDOS NA INTERNET

HQ Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas – Unesco
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188266por.pdf
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188267por.pdf
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188264por.pdf
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188269por.pdf
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188268por.pdf
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188269por.pdf
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188270por.pdf
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001882/188271por.pdf

BULLYING HOMOFÓBICO
http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002213/221314por.pdf

AIDS
Declaração dos Direitos fundamentais da Pessoa Portadora de AIDS, 1989
www.aids.gov.br/pagina/direitos-fundamentais
http://www.aids.gov.br/

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 2 - PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

PREVENÇÃO E SEXUALIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR


Por que esse tema?

Muitas pessoas associam sexualidade como sinônimo de relação sexual. Por conta desta confusão muitos tabus e preconceitos giram em torno desse tema, contribuindo para a falta de diálogo e tornando os jovens vulneráveis a diversas situações de risco.

“Ao tratar do tema Orientação Sexual, busca-se considerar a sexualidade como algo inerente à vida e à saúde, que se expressa no ser humano, do nascimento até a morte. Relaciona-se com o direito ao prazer e ao exercício da sexualidade com responsabilidade. Engloba as relações de gênero, o respeito a si mesmo e ao outro e à diversidade de crenças, valores e expressões culturais existentes numa sociedade democrática e pluralista. Inclui a importância da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis/AIDS e da gravidez indesejada na adolescência, entre outras questões polêmicas. Pretende contribuir para a superação de tabus e preconceitos ainda arraigados no contexto sociocultural brasileiro.”
PCN – Orientação Sexual

Sexualidade segundo PCN

“A sexualidade forma parte integral da personalidade de cada um. É uma necessidade básica e um aspecto do ser humano que não pode ser separado de outros aspectos da vida. A sexualidade não é sinônimo de coito e não se limita à presença ou não do orgasmo. Sexualidade é muito mais do que isso, é a energia que motiva encontrar o amor, contato e intimidade, e se expressa na forma de sentir, na forma de as pessoas tocarem e serem tocadas. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e tanto a saúde física como a mental. Se a saúde é um direito humano fundamental, a saúde sexual também deveria ser considerada como um direito humano básico.” 
PCN,1998 , p. 295

FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015

OS QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO

Para Delors (1998), a prática pedagógica deve preocupar-se com quatro aprendizagens fundamentais que são os pilares do conhecimento. 
Os quatro pilares da educação se complementam, uma vez que há entre eles muitos pontos em comum que contribuem para a aprendizagem ao longo da vida.

1 – APRENDENDO A APRENDER: adquirir os instrumentos de compreensão.
2 – APRENDENDO A FAZER: para poder agir sobre o meio envolvente.
3 – APRENDENDO A CONVIVER: a fim de participar e cooperar com os outros.
4 – APRENDENDO A SER: via essencial que integra os três precedentes.


FONTE DE PESQUISA:
 INSTRUMENTOS DE APOIO À APRENDIZAGEM  / CURSO “APRENDENDO A CONVIVER” – 1ª EDIÇÃO 2015
MÓDULO 1 - PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

VÍDEOS SOBRE LITERATURA DE CORDEL - 1º ANO

Olá professores,

Estava em busca de alguns vídeos sobre o tema acima para apresentar aos meus alunos do 1º ano do Ensino Médio e proporcionar a eles aulas diferenciadas a fim de sair da rotina cansativa do dia a dia (lousa, giz e sala de aula).
Então encontrei no Youtube vídeos muito bons e explicativos sobre essa riqueza da nossa literatura vinda do povo do Nordeste.
A intenção é fazer o uso da Sala de Leitura da escola.

Compartilho com vocês:

1 - LITERATURA DE CORDEL
https://youtu.be/80eX1e0NVzw

2 - CONTINUAÇÃO
https://youtu.be/OTxEL9lptW4

3 - XILOGRAVURAS
https://youtu.be/oTRpgKVE-Bk

4 - PATATIVA DO ASSARÉ - VIDA E OBRA
https://youtu.be/8d7NgjrE8Lw

5 - CABRA DE PESTE - PATATIVA DO ASSARÉ
https://youtu.be/UqwShzA8DE4

ATIVIDADES - OBRA: "O CORTIÇO" DE ALUÍSIO DE AZEVEDO / 2º ANO




RESPONDA AS QUESTÕES SOBRE A OBRA “O CORTIÇO”:

GABARITO

1. Quais são os personagens principais? 
João Romão, Miranda, Bertoleza, Jerônimo e Rita Baiana.

2. Percebemos que aqueles que convivem com pessoas consideradas de baixo nível desvirtuam-se. Cite exemplos.
Pombinha conhece Léonie, uma prostituta e relaciona-se com ela. Jerônimo deixa sua mulher para viver com Rita Baiana.

3. Quais doenças aparecem na história?
Doenças venéreas, resfriados e malária.

4. Quais os principais estilos musicais retra-tados?
Pagode, samba e fado.

5. Quem foi João Romão?
Foi um vendeiro que após a morte de seu patrão resolveu construir um cortiço com o dinheiro que este lhe deixara, usando também o dinheiro de Bertoleza, ele era um homem materialista.

6. As atitudes de João Romão caracterizam um personagem materialista. Explique.
João Romão sempre roubou materiais para a construção de seu cortiço, sua casa tinha poucos móveis, pois não queria gastar, casou-se com Bertoleza para usar seu dinheiro.

7. A história contém algumas palavras diferentes da atualidade. Cite algumas e dê seu significado.

8. Nessa história temos um introdução a homossexualidade, qual personagem é tratado como homossexual?
Albino.

9. O Cortiço introduz o leitor à feitiçaria. Cite um exemplo.
Quando Jerônimo estava doente pagaram à feiticeira uma moeda de prata, prometendo dar-lhe coisa melhor se o remédio tivesse bons resultados e ele melhorasse.

10. Qual é o público-alvo da época?
A classe burguesa.

Fonte de Pesquisa: